Audição

Clique sobre os títulos para visualizar os detalhes de cada tópico.

deficiencia

A deficiência auditiva

A deficiência auditiva é a redução ou a perda total da audição. Os sintomas, causas, tipos e graus da perda de audição podem ser inúmeros.

Sintomas da perda auditiva:

Alguns sintomas de perda auditiva incluem:

– Dificuldade para escutar em reuniões familiares, salas de concertos, teatros, local de trabalho, etc.
– Dificuldade para escutar a televisão e/ou telefone.
– Dificuldade para entender a conversação em um grupo de pessoas.

Os indivíduos afetados por uma perda auditiva, frequentemente desenvolvem formas para tentar ouvir melhor em situações difíceis. Essas formas incluem:

– Pedir aos outros que repitam as falas.
– Virar a cabeça de lado direcionando-a para os sons ou para quem está falando.
– Elevar o volume da TV, rádio ou equipamento de som.
– Evitar reuniões sociais.
– Fingir entender a mensagem recebida.

Perda auditiva neurossensorial

Esta é a perda auditiva mais comum. É um indicador de problemas no ouvido interno ou, ainda, no sistema auditivo periférico, podendo também ser conhecida como patologia coclear e retrococlear. Elas podem ser causadas por:

  • Exposição a ruídos intensos
  • Disposição genética
  • Infecções virais que afetam a orelha interna
  • Medicamentos ototóxicos
  • Traumas
  • Idade

Os efeitos são quase sempre os mesmos: dificuldade em separar fala do ruído, sons de alta freqüência (ex: como pássaros cantando) e a solicitação de repetições sobre o que foi dito quase sempre é necessária.

A perda auditiva neurossensorial é permanente e não pode ser corrigida por medicamentos, porém aparelhos auditivos na maioria das vezes ajudam bastante.

Perda auditiva condutiva

A perda auditiva resultante de um problema localizado no ouvido externo ou no ouvido médio é chamada de perda auditiva condutiva.

É causada por algum bloqueio que impede a passagem correta do som até o ouvido interno.

  • Rolha de cêra
  • Secreção na orelha média
  • Infecções na orelha média
  • Calcificações na orelha média
  • Disfunção na tuba auditiva

As perdas auditivas condutivas não são necessariamente permanentes, sendo reversíveis por meio de medicamentos e cirurgias.

Perdas auditivas mistas

Ocorre quando há problemas tanto no ouvido externo/médio quanto no ouvido interno.

Esta condição é chamada de perda auditiva mista.

Perdas auditivas mistas podem ser tratadas por cirurgia assim como por aparelhos auditivos.

Graus de Perda Auditiva

Para saber se a pessoa tem perda auditiva, realiza-se uma avaliação audiológica onde é avaliado de forma quantitativa os limiares de audição que classificam-se em:

  • NORMAL (0 A 20 dB NA) – Ouve todos os sons normalmente
  • LEVE (21 A 40 dB NA) – Dificuldade para entender alguns sons de fala, passarinho cantando etc;
  • MODERADA (41 A 70 dB NA) – Dificuldade para ouvir o latir do cachorro, bebê chorando, aspirador de pó, fala etc;
  • SEVERA (71 A 90 dB NA) – Dificuldade para ouviro som de um latido do cachorro, o toque do telefone, a fala etc;
  • PROFUNDA ( > 91 dB NA) – Dificuldade para ouvir máquina de cortar grama, caminhão, avião, etc.

*Classificação conforme Davis e Silverman, 1970.

deficienciaxperda

Entenda a diferença

Perda auditiva é a diminuição da audição que produz uma redução na percepção de sons e dificulta a compreensão das palavras. A dificuldade aumenta com o grau da perda auditiva, que pode ser leve, moderada, severa e profunda.

Surdez é a ausência total da audição, ou seja, a pessoa surda não ouve absolutamente nada.

O deficiente auditivo é classificado como surdo, quando sua audição não é funcional na vida comum e hipoacústico aquele cuja audição, ainda que deficiente, é funcional com ou sem prótese auditiva. A deficiência auditiva pode ser de origem congênita, causada por viroses materna doenças tóxicas desenvolvidas durante a gravidez ou adquirida, causada por ingestão de remédios que lesam o nervo auditivo, exposição a sons impactantes, viroses, predisposição genética, meningite, etc…

As hipoacúsias classificam-se em função do grau da perda auditiva, sua ordem e localização. Quando a lesão se localiza no ouvido externo ou no médio é denominada como deficiência de transmissão ou deficiência mista dependendo da intensidade da lesão. Quando se origina no ouvido e no nervo auditivo é dita deficiência interna ou sensorioneural (estágio mais agudo da deficiência).

dicas

Cuidados simples para evitar a perda de audição

9 milhões de brasileiros precisam de assistência auditiva. Até 2015, 700 milhões de pessoas terão problemas de audição no planeta.
Estudos recentes revelam que o problema da saúde auditiva cresce a cada dia no Brasil e no mundo. Dados do British MRC Institute of Hearing Research, do Reino Unido, mostram que hoje mais de 560 milhões de pessoas sofrem de problemas auditivos no planeta, número que deve chegar a 700 milhões em 2015 e 900 milhões em 2025. No Brasil, são 9 milhões de pessoas que precisam de assistência auditiva. Dos 3,1 milhões de brasileiros nascidos a cada ano, menos de 10% passam por avaliação de surdez.
De acordo com especialistas, além da genética, idade e saúde em geral, fatores como exposição ao ruído, estresse, situação socioeconômica e alimentação, bem como bebida e cigarro, contribuem para a perda da audição. “Esses números são um alerta para que as pessoas cuidem melhor da audição, um bem que deve ser preservado por toda a vida. A perda auditiva é irreversível, por isso a prevenção é tão importante. Vale ressaltar que 90% das perdas nos adultos são decorrentes ou agravadas pela exposição ao ruído”, comenta a Presidente da Academia Brasileira de Audiologia (ABA), Maria Cecília Bevilacqua.
Pesquisas a respeito do tema foram apresentadas durante o XXX ICA – Congresso Internacional de Audiologia. Realizado pela primeira vez no país, o evento reuniu os principais especialistas do mundo em audiologia. Entre os destaques do XXX ICA esteve a apresentação de soluções inovadoras e de baixo custo para o diagnóstico da perda auditiva, para futura implementação em países em desenvolvimento. Uma dessas novidades é o timpanômetro virtual, em estudo pela Brigham Young University de Utah, nos Estados Unidos. Esse dispositivo permite o diagnóstico a distância e, portanto, deixa o procedimento mais barato, permitindo sua utilização pela população de cidades mais carentes e distantes.

Especialistas sugerem cuidados simples para evitar a perda de audição*
1. Mantenha sua carteira de vacinação em dia e lembre-se que todos os adultos devem se vacinar contra a rubéola;
2. Fique atento caso a criança peça para repetir uma pergunta muitas vezes ou se ela demonstrar dificuldade de entender a fala;
3. Faça um teste audiológico pelo menos a cada 5 anos. Idosos e crianças com menos de 3 anos devem fazer um teste auditivo todos os anos;
4. Evite locais muito ruidosos que exijam elevação do seu volume de voz;
5. Evite ouvir música em volume muito alto;
6. Use protetores auditivos sempre que frequentar ambientes com barulhos extremos (shows, festas, casas noturnas, estádios etc.);
7. Não durma com a TV ou rádio ligados;
8. Sempre que possível, descanse sua audição por 10 minutos num local mais silencioso;
9. Não pingue remédios ou fórmulas caseiras dentro do ouvido sem indicação médica;
10. Não utilize objetos pontiagudos como palitos, grampos e lápis para limpar a orelha. Eles podem machucar o tímpano. O cotonete deve ser usado para limpar somente a parte externa da orelha.

*Fonte
ABA – Academia Brasileira de Audiologia